Site da UEMA Ouvidoria Guia Telefônico

XII Assembleia Geral e XI Seminário Internacional do Grupo Coimbra de Universidades Brasileiras foram realizados com o tema Indústria 4.0 e Sustentabilidade

A Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) participou da XII Assembleia Geral e do XI Seminário Internacional do Grupo Coimbra de Universidades Brasileiras (GCUB), realizados entre os dias 28 a 31 de outubro de 2019, e promovidos pelo GCUB e a Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Este ano o evento teve como tema central “Indústria 4.0 e Sustentabilidade”.

De acordo com a organização do evento, anualmente, o Seminário Internacional e a Assembleia Geral do GCUB são frequentados por mais de 350 representantes de instituições de Educação Superior e pesquisa, membros do corpo diplomático e autoridades governamentais e de organizações internacionais de mais de 35 países, localizados nos cinco continentes.

O assessor para Relações Internacionais da UEMA, prof. Thales Passos de Andrade e a professora do Departamento de Arquitetura e Urbanismo Andrea Duailibe marcaram presença nos quatro dias de programação do evento.

Na manhã do dia 28 de outubro, foi realizada a Assembleia Extraordinária para alteração de estatuto do GCUB e, logo após, a XII Assembleia Geral do Grupo, ambas restritas aos Reitores das Universidades Associadas ou seus representantes legais. Já durante a abertura solene, na tarde desta segunda-feira, no auditório Eulálio Chaves, o reitor da Universidade UFAM, professor Sylvio Puga, agradeceu a participação de 28 países, os quais, durante o evento, debateram as novas formas de empregabilidade geradas pela indústria 4.0 e como será trabalhada a cultura empreendedora dentro da Universidade, ressaltou o reitor.

Em seguida, a presidente do Grupo Coimbra de Universidades Brasileiras, professora Myrian Thereza de Moura Serra ressaltou a importância em se discutir, em plena Amazônia, problemas que afetam o mundo inteiro. Segundo ela, o conhecimento que se desenvolve nas universidades e nos institutos de pesquisa é, por essência, internacional e interdisciplinar. A diretora executiva do Grupo Coimbra, Rossana Valéria de Souza e Silva, também agradeceu a presença dos representantes das universidades de diversos países, dentre esses, Colômbia, Costa Rica, Equador, Argentina, Cuba, Estados Unidos, Itália, Japão, Angola, Moçambique, Nicarágua, Suíça e a delegação do Líbano, que levou um coral com 30 integrantes para se apresentarem no Teatro Amazonas.

Foto Oficial – Foto: Márcia Grana e Everton Macedo – TAE TV Ufam

Nos dias seguintes, onze sessões plenárias foram apresentadas por palestrantes de diversos países e instituições que abordaram os seguintes assuntos: Indústria 4.0 e Sustentabilidade; Questões Climáticas Globais; Indústria 4.0, Cidades Inteligentes e Gestão Urbana; Movimentos Migratórios; Debate Global com Representantes de Distintos Continentes; Contribuições e Desafios da Indústria 4.0 para As Questões Energéticas Globais; Universidades, Indústria 4.0 e Sustentabilidade; Fome, Segurança Alimentar e Agricultura Sustentável; Saúde de Qualidade para Todos; Biodiversidade Planetária e; Impactos da Indústria 4.0 na Internacionalização Sustentável das Universidades.

De acordo com o assessor da ARI, prof. Thales de Andrade, o evento foi uma oportunidade de adquirir mais conhecimento, aprender sobre novos conceitos, desenvolver ideias com os demais participantes e também aproximar a UEMA dos atuais e futuros parceiros, como por exemplo, o reitor da Universidade do Porto, António Sousa Pereira, no momento do qual a Assessoria tenta desenvolver mais ações em conjunto para estimular a mobilidade e, possivelmente, cursos de dupla titulação.

A ocasião possibilitou o contato com empresas que desenvolvem trabalhos dentro das universidades, diante da nova ordem que é, cada vez mais, a produção de novas patentes e a criação de novos produtos, o que, para o Assessor, é o ciclo normal que toda humanidade está passando, a 4ª e nova revolução industrial.

“O conceito agora é que a indústria e a universidade precisam, mais do que nunca, andarem juntas. A ciência precisa ser aplicada, definitivamente, na indústria, E esse será um caminho sem volta e uma solução para se encontrar recursos para a sustentabilidade dos dois setores, realidade da qual a UEMA está inserida”, afirmou prof. Thales de Andrade.

Veja algumas fotos do evento abaixo:

Por Raysa Guimarães

Compartilhar.