UEMA realiza I Congresso Internacional de Desenvolvimento Regional e IV Seminário do PPDSR

A Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) iniciou o IV Seminário Internacional do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Socioespacial e Regional e I Congresso Internacional de Desenvolvimento Regional nesta segunda-feira, dia 10 de dezembro, no auditório do CECEN, no campus Paulo VI.

As atividades do evento, que tem como tema “Metropolização do Espaço e Direito à Cidade: Gestão Pública, Dinâmicas espaciais e conflitos socioambientais”, vão até o dia 14 de dezembro.

O evento tem como objetivo atualizar conhecimentos e aprofundar os debates sobre desenvolvimento territorial, configuração socioespacial das metrópoles e a governabilidade nos territórios, além de promover a reflexão de quem e para quem são esses espaços, buscando um diálogo da construção e reorganização do espaço urbano com o direito à cidade.

I Congresso Internacional de Desenvolvimento Regional e IV Seminário do PPDSR começam nesta segunda-feira

Participaram da mesa de abertura a diretora do Centro de Educação, Ciências Exatas e Naturais (CECEN), professora Ana Lucia Duarte, os coordenadores do evento, professores José Sampaio Júnior, Carlos Frederico Lago Burnett e Magno Vasconcelos Júnior, o presidente da FAPEMA, Alex Oliveira, a professora Neuzeli Maria de Almeida, representando a diretora do CCSA, Helciane Araújo e a professora Rita Seabra, representando o pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação, Marcelo Cheche.

De acordo o com o Magno Vasconcelos, professor visitante do PPDSR e integrante do comitê de organização do evento, as atividades trazem um importante debate devido à discussão e à internacionalização de temas relevantes para a cidade de São Luís.

“A ideia inicial do evento foi trabalhar as discussões que são feitas dentro da academia sobre a região metropolitana e o direito à cidade. A região metropolitana é um tema recente e, por isso, aqui no Maranhão, a gente tenta fazer essas discussões tanto no âmbito local, como trazer as experiências internacionais, com professores de fora do país, que contam para nós suas experiências nas regiões metropolitanas da Espanha, de Portugal e do Chile”, explicou Magno.

Já no que se refere às discussões acerca do direito à cidade e dos conflitos socioambientais, o professor Magno Vasconcelos acredita na necessidade do diálogo sobre as segregações nas cidades. “O mundo está cada vez mais populoso, porém vemos uma segregação nas cidades e isso na América Latina é muito mais forte do que nos outros países de primeiro mundo. Por isso, existe uma necessidade de se discutir sobre essa segregação, questionar por que ela existe e como podemos melhorar”, ressaltou.

O coordenador do evento, professor Carlos Frederico Burnett destacou que o apoio da FAPEMA na realização do congresso é bastante relevante devido ao atual contexto nacional. “Em um momento extremamente delicado da conjuntura nacional, do qual uma série de direitos e políticas de desenvolvimento regional correm riscos de serem comprometidos, é fundamental que esse evento tenha a possibilidade de pensar espaços para que se possa fortalecer o campo do desenvolvimento regional e o desenvolvimento do Maranhão”, observou.

Segundo o presidente da FAPEMA, Alex Oliveira é motivo de contentamento o contínuo investimento em ciência e tecnologia. “Essa alegria que me traz até aqui, de saber que estamos fazendo o chamamento para que sejam investigados assuntos de interesse do estado do Maranhão, para que possamos sair da crise. Nós precisamos de conhecimento, de pesquisa e fazer valer o nosso poder de produzir conhecimento transformador”, disse.

Professores Internacionais

Professor Jordi Bayona Carrasco, da Universitat de Barcelona

De acordo com o professor Jordi Bayona Carrasco, da Universitat de Barcelona, o I Congresso Internacional de Desenvolvimento Regional é importante, pois “poder reunir várias aproximações metodológicas e de vários países é de uma riqueza a ser destacada neste congresso”.

A professora Jenniffer Thiers Quintana, também da Universitat de Barcelona, concorda. “Para a gente que vem de fora, de uma cidade tão diferente de São Luís, transmitir um pouco das diferenças que existem, os conceitos que a gente tem em comum e abrir as portas do conhecimento tanto para os ouvintes, quanto para nós (palestrantes), é importante para se conhecer outras realidades de espaço e de planejamento”.

“O encontro é interessante, pois permite a troca de experiências de pessoas de diferentes origens, com olhares diferentes, com investigações em contextos distintos, e, portanto, o fato de se reunirem para discutir os temas propostos pelo Congresso e Seminário é francamente positivo”, comentou o professor Rui Manuel Missa Jacinto, da Universidade de Coimbra.

O evento foi realizado em parceria com a Universidade Federal do Maranhão (UFMA), a Secretaria de Estado das Cidades e Desenvolvimento Urbano (SECID), a Agência Executiva Metropolitana (AGEM) e o Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (IMESC).

Por Raysa Guimarães

Compartilhar.